Postado dia 02/10/2022 17:17:57
Confira 8 momentos mais inesquecíveis da franquia God of War
Alguns trechos que mais marcaram.
PS2PS4PS3
God of War
God of War

Lançamento : Sexta-Feira, 20 de Abril de 2018
Editora(s):
Sony Interactive Entertainment America / Sony Interactive Entertainment Europe / PlayStation Mobile Inc. /
Desenvolvedor(es):
SIE Santa Monica Studio
Gênero(s) : Action-Adventure


God of War foi uma franquia que sempre trouxe momentos épicos, a cada jogo conseguindo surpreender os jogadores, sejam com inimigos ainda maiores ou cenas mais violentas do que as anteriores.

Com o lançamento de God of War: Ragnarok se aproximando, decidimos separar aqui uma lista com os momentos mais memoráveis de toda a franquia, os quais certamente marcaram todos os jogadores.

Luta contra Poseidon



Em duas coisas God of War 3 é o que mais se sobressaí dentro da franquia: momentos épicos e em sua dose extrema de violência. E o jogo já começa com essas duas coisas logo de cara, nos colocando para enfrentar o deus Poseidon.

A luta conta o deus dos mares já começo de forma excepcional, Kratos em cima de Gaia enquanto Poseidon tenta derrubá-la. A batalha acontece ali mesmo, com o espartano tentando livrar a titã das criaturas conjuradas pelo deus do mar.

Essa batalha é um espetáculo à parte, com o cenário em constante mudança enquanto Gaia escala o Olimpo e com Kratos sendo jogado de um lado para o outro. Sem contar a presença grandiosa do próprio Poseidon.

A luta termina com um dos momentos mais violentos em toda a série. Após Kratos espancar brutalmente Poseidon, a qual os jogadores acompanham pela própria visão do deus dos mares, o espartano o cega enfiando os dedos em seus olhos, antes de quebrar seu pescoço.

Kratos reencontra sua filha

Não é só de violência e combate que se resume God of War, o jogo possui seu lado mais emotivo, até mesmo nos títulos clássicos, como uma cena em especial no título de PSP God of War: Chains of Olympus.

Enquanto tenta descobrir quem despertou Morfeus, Kratos acaba enfrentando Persefone, esposa de Hades, o deus do submundo. Em sua caçada, o espartano acaba tendo a oportunidade de ir até elisio, o paraíso Grego.

Em Elisio, Kratos encontra-se novamente com sua filha, a qual ele mesmo havia matado anos antes. Tendo uma segunda chance de passar a vida com ela, Kratos rapidamente desisti de suas armas e vontade de lutar.

Infelizmente a vida desse guerreiro nunca é fácil. Com Persefone junto de Atlas prestes a destruir toda criação, incluindo o Elisio, Kratos precisa novamente deixar sua filha a fim de não causar o fim da vida dela pela segunda vez.

Kratos e Deimos juntos

Outro momento vindo direto de um jogo para portátil. Em God of War: Ghost of Sparta tivemos mais informações a respeito da família de Kratos, e após reencontrar sua mãe e ter que matá-la quando Zeus a transforma em um monstro, o espartano descobre que seu irmão ainda está vivo.

Deimos estava sendo mantido como prisioneiro no purgatório por Thanatos, o deus da morte. Com os deuses acreditando na profecia de que um guerreiro marcado iria desturir o olimpo, o irmão de Kratos acabou levando a culpa quando pequeno.

Após passar por diversos desafios e finalmente conseguir chegar até seu irmão, Kratos encontra um Deimos amargurado, o qual o culpa pelas dezenas de anos que passou preso sendo torturado por Thanatos.

Após uma luta breve, os dois irmão então tem que se juntar quando Thanatos se apresenta uma grande ameaça. Além de ser a primeira vez que Kratos teve um ajudante durante o combate, antes Atrus ser introduzido na série, a batalha teve um desfecho triste para os dois irmãos.

Luta contra Zeus



Na abertura de God of War 2, Kratos acaba sendo morto por Zeus de forma brutal. Após retornar dos mortos, o espartano passa o jogo todo caçando o rei do Olimpo atrás de vingança por sua traição.

Após escapar com vida no segundo jogo, God of War 3 novamente nos coloca em busca de Zeus, tendo que enfrentar o Olimpo inteiro para chegar a ele, mas quando finalmente o encontramos, temos um encerramento épico.

A luta contra Zeus passa por diversos locais, e em cada cenário o próprio estilo de gameplay muda. Começando como um jogo de luta 2D, logo somos transportados para dentro de Gaia para uma luta desafiadora no estilo padrão da série, para então finalizar com um combate em primeira pessoa com as lâminas do exílio.

Após o fim da luta, temos um QTE brutal de Kratos espancando seu próprio pai, onde certamente muitos jogadores passaram um bom tempo pressionando o botão sem saber que podiam parar. Kratos ao menos finalmente teve sua desejada vingança e pôde descansar em paz.

Confronto com Baldur

Com o God of War de 2018, tivemos uma grande alteração no jogo, não só no gameplay que agora contava com uma câmera por cima do ombro, mas também em sua ambientação, tendo trocado a mitologia grega pela nórdica.

Após ume breve introdução, onde somos apresentados a um Kratos novo e diferente, com sua raiva mais sobre controle, além de agora ter um filho chamado Atreus, o antigo deus da guerra recebe uma visita inesperada em casa.

Um homem, denominado apenas como Homem Misterioso, bate à porta da casa de Kratos exigindo respostas. Após confrontar Kratos, os jogadores certamente se sentem superiores pela força de Kratos, mas quando a batalha começa de verdade, as coisas mudam.

Esse Homem demonstra uma força que parece se igualar a de Kratos, além de parecer não morrer de jeito nenhum. O que temos é uma batalha épica, com os personagens se arremessando, árvores sendo destruídas e uma demonstração de força impressionante.

Após descobrirem que o homem se tratava de ninguém menos do que Baldur, irmão de Thor, Kratos e seu filho Atreus travam uma batalha épica contra esse deus no final do jogo, com direito até a participação de um cadáver de gigante reanimado.

Luta contra o colossus

O primeiro God of War já demonstrou um grande nível de escala se tratando de seus inimigos, já nos colocando para enfrentar a enorme Hidra no começo do jogo. God of War 2 então veio para superar seu antecessor e impressionar ainda mais os jogadores.

A abertura dessa sequência já nos colocava em uma batalha épica contra o próprio Colosso de Rodes que criou vida, uma criatura com mais de 30 metros que conseguia até mesmo segurar Kratos em seus dedos.

Com o Colosso perseguindo Kratos por todo o nível, terminamos enfrentando ele em diversas etapas, até conseguirmos colocar as mãos na poderosa Lâmina do Olimpo e entrar dentro do próprio gigante para matá-lo.

A franquia God of War ficou conhecida por trazer chefes colossais, e o Colosso de Rodes é até hoje um dos mais impressionants, com uma das batalhas mais marcantes de toda a série.

Atena e as Lâminas do Caos reaparecendo

Com God of War tendo entrado em uma nova mitologia, os fãs provavelmente esperavam ver algumas menções à saga anterior, já que não se tratava de um remake. No entanto, acabamos recebendo muito mais do que isso.

Na metade do jogo, enquanto retornava para sua casa para pegar as "ferramentas" necessárias para explorar o Hel, submundo da mitologia nórdica, Kratos é visitado por Athena em sua forma astral de God of War 3. Esse foi um momento que sem dúvidas pegou todos de surpresa.

Para deixar os jogadores ainda mais empolgados, logo em seguida temos a aparição das Lâminas do Caos, clássicas armas usadas por Kratos na trilogia anterior. Poder utilizar novamente essas espadas, com diversos combos similares aos jogos antigos, foi um dos grandes pontos altos dos jogos.

Poder ver tantos aspectos da vida passada de Kratos, algo guardado cuidadosamente em segredo pela equipe de desenvolvimento, foi sem dúvidas uma grata surpresa para os fãs de longa data.

Matando Chronos, o maior inimigo até hoje da série



Como já falamos, God of War sempre se orgulhou de trazer batalhas contras chefes colossais e a maior delas foi sem duvidas contra o titã Cronos em God of War 3, com a Santa Monica se superando com essa batalha.

Chronos era tão grande, que até uma unica unha sua era diversas vezes maior que Kratos. Como traduzir isso para o jogo? A Santa Monica fez com que o próprio Cronos fosse o estágio, colocando Kratos para caminhar por cima dele, abrindo caminho entre os inimigos.

Essa é uma das fases mais épicas de God of War, fazendo Kratos escalar o titã, arrancar suas unhas e até mesmo ser engolido, para então sair cortando um buraco de dentro de Cronos com sua espada.

Ao final temos uma morte brutal para o titã, com um cristal enfiado em seu queixo e uma espada em sua testa. Muitos jogadores certamente se lembraram desse combate quando Atreus perguntou se seu pai podia matar uma criatura tão grande como um dragão.

Visualizações: 109


Curta a página da Game Overx no Facebook.


Ultimas Noticias!
Noticias Relacionadas!
Comentários (0)
Precisa estar logado para fazer comentários

| Criar uma conta grátis!


Feito a mão, mais feito com
Um cafezinho para Game Overx
Game Overx 2020 © 2022
Politica de Privacidade | Termos de Uso


Postado dia 02/10/2022 17:17:57
Confira 8 momentos mais inesquecíveis da franquia God of War
Alguns trechos que mais marcaram.
PS2PS4PS3


God of War foi uma franquia que sempre trouxe momentos épicos, a cada jogo conseguindo surpreender os jogadores, sejam com inimigos ainda maiores ou cenas mais violentas do que as anteriores.

Com o lançamento de God of War: Ragnarok se aproximando, decidimos separar aqui uma lista com os momentos mais memoráveis de toda a franquia, os quais certamente marcaram todos os jogadores.

Luta contra Poseidon



Em duas coisas God of War 3 é o que mais se sobressaí dentro da franquia: momentos épicos e em sua dose extrema de violência. E o jogo já começa com essas duas coisas logo de cara, nos colocando para enfrentar o deus Poseidon.

A luta conta o deus dos mares já começo de forma excepcional, Kratos em cima de Gaia enquanto Poseidon tenta derrubá-la. A batalha acontece ali mesmo, com o espartano tentando livrar a titã das criaturas conjuradas pelo deus do mar.

Essa batalha é um espetáculo à parte, com o cenário em constante mudança enquanto Gaia escala o Olimpo e com Kratos sendo jogado de um lado para o outro. Sem contar a presença grandiosa do próprio Poseidon.

A luta termina com um dos momentos mais violentos em toda a série. Após Kratos espancar brutalmente Poseidon, a qual os jogadores acompanham pela própria visão do deus dos mares, o espartano o cega enfiando os dedos em seus olhos, antes de quebrar seu pescoço.

Kratos reencontra sua filha

Não é só de violência e combate que se resume God of War, o jogo possui seu lado mais emotivo, até mesmo nos títulos clássicos, como uma cena em especial no título de PSP God of War: Chains of Olympus.

Enquanto tenta descobrir quem despertou Morfeus, Kratos acaba enfrentando Persefone, esposa de Hades, o deus do submundo. Em sua caçada, o espartano acaba tendo a oportunidade de ir até elisio, o paraíso Grego.

Em Elisio, Kratos encontra-se novamente com sua filha, a qual ele mesmo havia matado anos antes. Tendo uma segunda chance de passar a vida com ela, Kratos rapidamente desisti de suas armas e vontade de lutar.

Infelizmente a vida desse guerreiro nunca é fácil. Com Persefone junto de Atlas prestes a destruir toda criação, incluindo o Elisio, Kratos precisa novamente deixar sua filha a fim de não causar o fim da vida dela pela segunda vez.

Kratos e Deimos juntos

Outro momento vindo direto de um jogo para portátil. Em God of War: Ghost of Sparta tivemos mais informações a respeito da família de Kratos, e após reencontrar sua mãe e ter que matá-la quando Zeus a transforma em um monstro, o espartano descobre que seu irmão ainda está vivo.

Deimos estava sendo mantido como prisioneiro no purgatório por Thanatos, o deus da morte. Com os deuses acreditando na profecia de que um guerreiro marcado iria desturir o olimpo, o irmão de Kratos acabou levando a culpa quando pequeno.

Após passar por diversos desafios e finalmente conseguir chegar até seu irmão, Kratos encontra um Deimos amargurado, o qual o culpa pelas dezenas de anos que passou preso sendo torturado por Thanatos.

Após uma luta breve, os dois irmão então tem que se juntar quando Thanatos se apresenta uma grande ameaça. Além de ser a primeira vez que Kratos teve um ajudante durante o combate, antes Atrus ser introduzido na série, a batalha teve um desfecho triste para os dois irmãos.

Luta contra Zeus



Na abertura de God of War 2, Kratos acaba sendo morto por Zeus de forma brutal. Após retornar dos mortos, o espartano passa o jogo todo caçando o rei do Olimpo atrás de vingança por sua traição.

Após escapar com vida no segundo jogo, God of War 3 novamente nos coloca em busca de Zeus, tendo que enfrentar o Olimpo inteiro para chegar a ele, mas quando finalmente o encontramos, temos um encerramento épico.

A luta contra Zeus passa por diversos locais, e em cada cenário o próprio estilo de gameplay muda. Começando como um jogo de luta 2D, logo somos transportados para dentro de Gaia para uma luta desafiadora no estilo padrão da série, para então finalizar com um combate em primeira pessoa com as lâminas do exílio.

Após o fim da luta, temos um QTE brutal de Kratos espancando seu próprio pai, onde certamente muitos jogadores passaram um bom tempo pressionando o botão sem saber que podiam parar. Kratos ao menos finalmente teve sua desejada vingança e pôde descansar em paz.

Confronto com Baldur

Com o God of War de 2018, tivemos uma grande alteração no jogo, não só no gameplay que agora contava com uma câmera por cima do ombro, mas também em sua ambientação, tendo trocado a mitologia grega pela nórdica.

Após ume breve introdução, onde somos apresentados a um Kratos novo e diferente, com sua raiva mais sobre controle, além de agora ter um filho chamado Atreus, o antigo deus da guerra recebe uma visita inesperada em casa.

Um homem, denominado apenas como Homem Misterioso, bate à porta da casa de Kratos exigindo respostas. Após confrontar Kratos, os jogadores certamente se sentem superiores pela força de Kratos, mas quando a batalha começa de verdade, as coisas mudam.

Esse Homem demonstra uma força que parece se igualar a de Kratos, além de parecer não morrer de jeito nenhum. O que temos é uma batalha épica, com os personagens se arremessando, árvores sendo destruídas e uma demonstração de força impressionante.

Após descobrirem que o homem se tratava de ninguém menos do que Baldur, irmão de Thor, Kratos e seu filho Atreus travam uma batalha épica contra esse deus no final do jogo, com direito até a participação de um cadáver de gigante reanimado.

Luta contra o colossus

O primeiro God of War já demonstrou um grande nível de escala se tratando de seus inimigos, já nos colocando para enfrentar a enorme Hidra no começo do jogo. God of War 2 então veio para superar seu antecessor e impressionar ainda mais os jogadores.

A abertura dessa sequência já nos colocava em uma batalha épica contra o próprio Colosso de Rodes que criou vida, uma criatura com mais de 30 metros que conseguia até mesmo segurar Kratos em seus dedos.

Com o Colosso perseguindo Kratos por todo o nível, terminamos enfrentando ele em diversas etapas, até conseguirmos colocar as mãos na poderosa Lâmina do Olimpo e entrar dentro do próprio gigante para matá-lo.

A franquia God of War ficou conhecida por trazer chefes colossais, e o Colosso de Rodes é até hoje um dos mais impressionants, com uma das batalhas mais marcantes de toda a série.

Atena e as Lâminas do Caos reaparecendo

Com God of War tendo entrado em uma nova mitologia, os fãs provavelmente esperavam ver algumas menções à saga anterior, já que não se tratava de um remake. No entanto, acabamos recebendo muito mais do que isso.

Na metade do jogo, enquanto retornava para sua casa para pegar as "ferramentas" necessárias para explorar o Hel, submundo da mitologia nórdica, Kratos é visitado por Athena em sua forma astral de God of War 3. Esse foi um momento que sem dúvidas pegou todos de surpresa.

Para deixar os jogadores ainda mais empolgados, logo em seguida temos a aparição das Lâminas do Caos, clássicas armas usadas por Kratos na trilogia anterior. Poder utilizar novamente essas espadas, com diversos combos similares aos jogos antigos, foi um dos grandes pontos altos dos jogos.

Poder ver tantos aspectos da vida passada de Kratos, algo guardado cuidadosamente em segredo pela equipe de desenvolvimento, foi sem dúvidas uma grata surpresa para os fãs de longa data.

Matando Chronos, o maior inimigo até hoje da série



Como já falamos, God of War sempre se orgulhou de trazer batalhas contras chefes colossais e a maior delas foi sem duvidas contra o titã Cronos em God of War 3, com a Santa Monica se superando com essa batalha.

Chronos era tão grande, que até uma unica unha sua era diversas vezes maior que Kratos. Como traduzir isso para o jogo? A Santa Monica fez com que o próprio Cronos fosse o estágio, colocando Kratos para caminhar por cima dele, abrindo caminho entre os inimigos.

Essa é uma das fases mais épicas de God of War, fazendo Kratos escalar o titã, arrancar suas unhas e até mesmo ser engolido, para então sair cortando um buraco de dentro de Cronos com sua espada.

Ao final temos uma morte brutal para o titã, com um cristal enfiado em seu queixo e uma espada em sua testa. Muitos jogadores certamente se lembraram desse combate quando Atreus perguntou se seu pai podia matar uma criatura tão grande como um dragão.


Visualizações: 109
Siga a página da Game Overx no Twitter.



Noticias relacionadas!
Ultimas noticias!
Noticias relacionadas!
Ultimas noticias!
Comentários (0)
Precisa estar logado para fazer comentários

| Esqueceu a senha?


Feito a mão, mais feito com
Um cafezinho para Game Overx
Game Overx 2020 © 2022
Politica de Privacidade | Termos de Uso